top of page
raiz ilustra 4.jpg

Memória empresarial e institucional e seus profissionais

Atualizado: 1 de ago. de 2023

Historiadores, bibliotecários e arquivistas são apenas algumas das profissões que podem atuar nessa área



A memória empresarial e institucional desempenha um papel fundamental na preservação da história e do conhecimento acumulado pelas organizações ao longo do tempo. As atividades que garantem a coleta, a preservação e o uso efetivo do acervo histórico das empresas e instituições exigem habilidades interdisciplinares, de forma que profissionais de diferentes áreas devem trabalhar juntos e articulados.


Historiadores, bibliotecários, arquivistas, restauradores, museólogos, comunicadores, profissionais de tecnologia da informação, profissionais de educação e treinamento e designers gráficos são alguns dos especialistas envolvidos nos projetos de memória empresarial. Cada profissão contribui de forma única com suas técnicas, conhecimentos e metodologias específicas para a organização e para a extroversão dos acervos históricos das empresas e das instituições.


Neste artigo você vai saber o que é memória empresarial e memória institucional e as atividades que compõem projetos desta área. Além disso, vai conhecer as profissões de historiador, de bibliotecário e de arquivista e entender a contribuição destes profissionais para a memória empresarial. Também vai saber como outras profissões podem contribuir na salvaguarda da história das organizações e quais os caminhos possíveis para atuar nesta área.


Memória empresarial e memória institucional e a importância dos profissionais


Memória empresarial ou memória institucional é a capacidade de uma empresa ou instituição de coletar, preservar e utilizar sua história e o conhecimento acumulado ao longo de sua trajetória. Para que esse processo aconteça de maneira efetiva é essencial desenvolver e estruturar nas empresas e nas instituições dois conjuntos de atividades: a organização de acervos históricos e a extroversão desses acervos.


Na organização de acervos históricos, é necessário realizar atividades como recolhimento, higienização, classificação, catalogação e acondicionamento adequado da documentação empresarial. Essas etapas são fundamentais para garantir a preservação do material e facilitar seu acesso no futuro.


Já na extroversão, são diversas as possibilidades de projetos para compartilhar e utilizar a memória empresarial. Isso pode incluir a edição de livros e outras publicações que registrem a história e os aprendizados da empresa, a montagem de exposições e criação de museus para exibir documentos históricos relevantes, o desenvolvimento de sites e bancos de dados para disponibilizar informações online, além da criação de brindes corporativos que remetam à história e valores da organização. Também é possível oferecer aulas, cursos e palestras que transmitam aos públicos de interesse o conhecimento adquirido ao longo do tempo.


Palestra sobre memória empresarial para o comitê de Inovação da SwissCam

Para que os projetos de memória empresarial atinjam os objetivos de reforçar a identidade e a reputação das organizações, servir como ferramenta estratégica de gestão, fortalecer vínculos com os stakeholders e atuar pela responsabilidade histórica e social, é fundamental que profissionais capacitados para desempenhar as atividades de organização e extroversão de acervos históricos estejam envolvidos. A seguir, trataremos do papel de alguns deles.


Historiador


O historiador é o profissional que pesquisa e analisa os acontecimentos do passado e seus impactos no presente. Os costumes, as culturas e as ideias, os eventos e as transformações sociais pelo qual a humanidade passou ao longo do tempo são objetos das investigações desse profissional.


Para explorar, compreender e interpretar a história humana, os historiadores utilizam métodos rigorosos de pesquisa e contextualizam as informações disponíveis, com o objetivo de construir narrativas coerentes e significativas sobre o passado. Eles trabalham tanto com fontes primárias, ou seja, documentos históricos que fornecem evidências diretas dos objetos de estudo, como com fontes secundárias, obras produzidas por outros historiadores ou pesquisadores e que fornecem análises, interpretações e sínteses do conhecimento existente sobre determinado tema.


Esses profissionais também podem utilizar como metodologia as entrevistas (história oral) e as pesquisas de campo, bem como a análise de imagens e estudos comparativos entre diferentes períodos e culturas. O olhar do historiador deve ser crítico e interpretativo, considerando o contexto em que suas fontes foram produzidas, as intenções dos autores e possíveis viéses ou distorções.


Os historiadores têm um papel fundamental na preservação da memória e na produção de conhecimento histórico. Eles contribuem para a compreensão do desenvolvimento das sociedades, das ideias políticas, das mudanças culturais, das instituições e das empresas ao longo dos tempos.


Historiadores podem trabalhar:

  • em universidades, escolas e instituições educacionais

  • em projetos e instituições culturais e museus

  • na gestão e organização de acervos históricos

  • na elaboração de exposições e curadoria

  • na assessoria em assuntos históricos para produções audiovisuais para cinema e televisão, para teatro e internet.

  • na avaliação e produção de materiais didáticos

  • na redação de livros

  • na consultoria em turismo histórico

  • em empresas


Historiador empresarial ou historiador corporativo


O historiador empresarial ou historiador corporativo é responsável por zelar pela história da empresa. Ele aplica os princípios e métodos da História para investigar a trajetória da organização, coletar e analisar documentos, realizar pesquisas, entrevistar pessoas-chave em projetos de história oral e criar narrativas sobre as marcas dos produtos e as marcas corporativas.


Dentre as funções do historiador corporativo estão:

  1. pesquisar sobre os antecedentes históricos da empresa

  2. identificar marcos importantes

  3. explorar das mudanças estratégicas

  4. analisar as práticas de negócios passadas

  5. examinar as transformações nas relações com clientes, funcionários e outros stakeholders

  6. compreender o contexto social, econômico e político em que a empresa operou.


O historiador empresarial utiliza fontes primárias, como registros corporativos, relatórios, documentos internos, correspondências, fotografias e depoimentos de funcionários para construir uma narrativa histórica sólida e precisa.


Nas empresas, os historiadores podem ser gestores de centros de memória e da área de memória empresarial, desempenhando um papel fundamental na construção e na preservação da memória e identidade de uma empresa, além de fornecer insights históricos valiosos para a tomada de decisões e a estratégia corporativa. Podem também ser especialistas e atuar na organização de acervos como pesquisadores-documentalistas que investigam e catalogam a documentação histórica da instituição.


O historiador corporativo pode trabalhar como gestor de centros de memória de empresas

Historiadores corporativos podem ainda sugerir e desenvolver projetos de extroversão do acervo, desenvolvendo pesquisas sobre a empresa e suas marcas para o público interno e externo, fazendo curadoria e textos para exposições, para museus corporativos e publicações, além de produzir conteúdo para diferentes plataformas como comunicados internos, redes sociais, sites, etc.


Eles podem trabalhar internamente como parte de equipes de memória empresarial ou podem ser consultores externos contratados para projetos específicos.


Bibliotecário


O bibliotecário é o profissional responsável por facilitar o acesso à informação. Dentre suas responsabilidades está organizar, catalogar e classificar acervos físicos e virtuais em bibliotecas, editoras, empresas e instituições, museus, centros de informação, centros de documentação e centros de memória. Esses acervos podem ser compostos não apenas por livros, mas também por revistas, documentos, fotografias, filmes e vídeos.


Também faz parte do escopo de trabalho do bibliotecário garantir a conservação dos materiais que compõem os acervos sob sua custódia e orientar os usuários em suas pesquisas, localizando as informações de interesse a partir dos títulos, dos autores, das datas e dos temas.


Outra atribuição deste profissional é gerir o banco de dados e os seus sistemas de informação, inserindo dados e monitorando empréstimos.


O bibliotecário e a memória empresarial


Por todas essas expertises, o bibliotecário é um profissional valioso nos projetos de memória empresarial, já que eles contribuem com a organização e gerenciamento dos acervos históricos, com o desenvolvimento de sistemas de classificação, aplicando técnicas de catalogação e indexação para facilitar a recuperação de informações sobre a documentação histórica, além de conduzir pesquisas e localizar os registros relevantes.


Além disso, os bibliotecários podem se responsabilizar pela preservação e conservação dos materiais, gerenciando as condições ambientais nas reservas técnicas, preparando o acondicionamento dos diferentes suportes, identificando documentos que precisam de restauração, auxiliando na digitalização e no gerenciamento de documentos digitais. A perspectiva do bibliotecário também é um diferencial no desenvolvimento ou na implantação de bancos de dados e sistemas de gerenciamento de acervos.


Eles também podem ter um papel ativo nos projetos de extroversão de acervos históricos das empresas por meio do apoio no planejamento estratégico e na execução de exposições, publicações e eventos, além de colaborar com produção de conteúdos para sites e redes sociais.


As habilidades dos bibliotecários em gerenciamento de informações são importantes para garantir o acesso efetivo à história e ao conhecimento acumulado pela empresa ao longo do tempo.


Arquivista


O arquivista é o profissional que gerencia a documentação - corrente, intermediária e permanente - de empresas e instituições. Assim como o bibliotecário e o historiador, ele lida com diversos tipos de documentos, como manuscritos, fotografias, gravações de áudio e vídeo, e-mails e documentos digitais. Seu objetivo é assegurar a integridade, autenticidade e acessibilidade desses documentos.


Dentre suas atribuições, os arquivistas avaliam a importância dos documentos institucionais por meio da criação de critérios de descarte e planos de destinação, do desenvolvimento de tabelas de temporalidade e sistemas de arranjo, da identificação, codificação e padronização dos documentos. Também está sob as responsabilidades de um arquivista garantir a circulação interna de documentos, atender solicitações das mais diversas áreas da instituição, transferir documentos para guarda intermediária e recolher documentos para a guarda permanente.


Arquivistas podem trabalhar em instituições arquivísticas nacionais, estaduais e municipais, em centros culturais, em instituições educacionais, em ONGs, em empresas, em museus e em centros de documentação e memória.


O arquivista e a memória empresarial


O arquivista pode contribuir para os trabalhos de memória empresarial, já que os conhecimentos e técnicas deste profissional são fundamentais na organização de acervos históricos das empresas.


De início, esse tipo de profissional pode auxiliar na definição do escopo de guarda do acervo, avaliando e selecionando documentos a serem incorporados aos centros de memórias e identificando documentos de valor histórico ou estratégico.


Esse especialista também pode atuar na classificação, descrição e preservação de documentos históricos, bem como na conservação e preservação dos suportes, além de desenvolver políticas e procedimentos para garantir a sua integridade física no longo prazo. Além disso, o arquivista pode colaborar na digitalização e gerenciamento de documentos eletrônicos, auxiliando os projetos de memória empresarial na incorporação de tecnologias e práticas de preservação digital.


Outras profissões na memória empresarial


Além do historiador, do bibliotecário e do arquivista, outros profissionais podem atuar nos projetos de memória empresarial, já que essa área exige habilidades diversas, especialmente no que diz respeito aos produtos de extroversão de acervos. Alguns profissionais e suas atuações são:


Restauradores e conservadores:

Aplicam técnicas à documentação histórica e garantem a reparação e preservação do acervo a longo prazo. Além disso, os restauradores podem contribuir com recomendações de material de acondicionamento e conservação e orientações de manejo adequado.


Museólogos:

Esses profissionais são especializados na curadoria e na gestão de exposições, museus e espaços culturais. Eles podem ajudar na concepção e montagem de exposições relacionadas à memória da empresa, garantindo a apresentação adequada dos objetos e outros documentos históricos.


Comunicadores:

Profissionais com conhecimento em comunicação e marketing podem desenvolver estratégias de comunicação, criar conteúdo para mídias sociais, produzir materiais de divulgação e promover eventos relacionados à memória empresarial.


Profissionais de tecnologia da informação (TI):

Em projetos de memória empresarial que envolvem banco de dados de gestão de documentos, digitalização e o gerenciamento de documentos eletrônicos, os profissionais de TI desempenham um papel crucial. Eles podem ajudar na implementação de sistemas, na preservação digital e na garantia de segurança dos registros eletrônicos.


Profissionais de educação e treinamento:

Para projetos de memória empresarial que envolvem a disseminação do conhecimento histórico, esses profissionais podem ministrar palestras, desenvolver programas de treinamento e criar materiais educacionais para conscientizar e engajar os funcionários sobre a importância da memória empresarial.


Designers gráficos:

Esses profissionais podem contribuir na criação de materiais visuais, como infográficos, layouts de exposições e design de publicações, brindes e embalagens de edições especiais que ajudam a transmitir a história e a identidade da empresa.


Como entrar na área de memória empresarial?


Os cursos de graduação são uma base para atuação na área de memória empresarial, mas, assim como para a maioria dos mercados, é importante buscar especialização e atualização tendo em vista as constantes e rápidas mudanças que vivemos nos dias de hoje. A PUC Minas tem um curso 100% online de pós-graduação em Museologia, Expografia e Cenografia que pode ser uma boa porta de entrada na área. Esse curso conta com uma disciplina denominada Memória Institucional e Aplicações, ministrada por Carolina Kuk, fundadora da Raiz Projetos e Pesquisas de História.


Além da graduação, outra possibilidade são cursos livres de formação na área, como o que ocorreu recentemente no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc. O curso denominado Documentação e memória: valorização e usos em empresas de comércio e serviços trazia uma mistura de conceituação e exemplos práticos sobre a área. Em breve, a Raiz vai lançar um curso online sobre memória empresarial e memória institucional.


Além dos cursos sobre memória institucional em si, outros cursos sobre as ferramentas e técnicas utilizadas na gestão de acervos históricos, como organização e catalogação de documentos, preservação física e digital, digitalização de materiais, gerenciamento de bancos de dados e sistemas de informação podem ser bons adicionais.


Uma outra dica é manter-se atualizado sobre as tendências e práticas no campo da memória empresarial. Leia livros, pesquisas acadêmicas, artigos e siga perfis sobre o assunto nas redes sociais. Se você ainda não assina a newsletter da Raiz, clique aqui e mantenha-se informado sobre a memória empresarial e institucional!


Além do estudo, é importante ter experiência prática. Busque oportunidades de estágio ou empregos em instituições, empresas ou organizações que desenvolvam projetos em memória empresarial ou ainda em consultorias especializadas na área. Mande seu currículo para a Raiz.


Perguntas frequentes

Quais profissionais trabalham com memória empresarial?

Historiadores, bibliotecários, arquivistas, restauradores, museólogos, comunicadores, profissionais de tecnologia da informação, profissionais de educação e treinamento e designers gráficos são alguns dos especialistas envolvidos nos projetos de memória empresarial. Cada profissão contribui de forma única com suas técnicas, conhecimentos e metodologias específicas para a organização e para a extroversão dos acervos históricos das empresas e das instituições.

O que faz um historiador empresarial ou corporativo?

Qual a função de um bibliotecário na memória empresarial?

Quais as atividades de um arquivista na memória empresarial?


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page